Complicações Neurológicas do Sarampo. Quando o assunto é a criação de um filho, o pavor dos pais é imaginar que ele possa adoecer um dia. E por mais que relutem e façam de tudo para que a criança seja a mais saudável possível, é inevitável que algum dia ela adoeça.

Gripe, resfriado, dor de cabeça e febre podem ser sintomas comuns de diversas doenças, mas quando elas vêm acompanhadas de problemas no desenvolvimento cognitivo e motor, presença de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e da paralisia cerebral, por exemplo, é preciso tomar um pouco mais de cuidado e procurar um médico especialista para evitar complicações futuras.

Continue acompanhando este artigo para saber quais são as possíveis Complicações Neurológicas em crianças diagnosticadas com Sarampo e o que pode ser feito em situações como esta.

Complicações Neurológicas do Sarampo – Conhecendo a Doença

Primeiramente, é importante entendermos que o Sarampo se trata de uma virose comum em crianças com menos de cinco anos e em adultos acima dos vinte anos de idade. Ela é uma doença contagiosa, transmissível pelas vias respiratórias, e que tem como principais sintomas:

  • Tosse;
  • Coriza;
  • Dor de garganta;
  • Infecção ocular / Inflamação que causa vermelhidão nos olhos;
  • Febre alta;
  • Falta de apetite;
  • Irritação na pele que resulta em erupções avermelhadas, que surgem, inicialmente, na região do tronco;
  • Manchas brancas nas mucosas.

Após o diagnóstico, que é feito por meio de um exame clínico, o médico indica ao paciente a realização de tratamento dos sintomas, já que o Sarampo é uma doença, que não tem cura, em que a pessoa precisa:

  • Ficar em repouso;
  • Ingerir muito líquido;
  • Consumir alimentos mais leves;
  • Limpar os olhos com água morna;
  • Tomar os antitérmicos que têm como função baixar a febre que estiver causando um mal-estar.

Complicações Neurológicas do Sarampo – Quais São Elas?

As Complicações Neurológicas do Sarampo podem deixar a pessoa com algumas sequelas, tais como, cegueira, surdez, redução da capacidade mental e retardo do crescimento, por exemplo, que podem ser causadas por quadros de:

Encefalite Transitória ou Encefalomielite Disseminada Aguda (ADEM)

Esta é uma inflamação do encéfalo e da coluna vertebral originada após a reação a um vírus e, que tem como principais sintomas:

    • Febre;
    • Cefaleia;
    • Alteração no estado mental;
    • Crises epilépticas;
    • Déficits neurológicos focais (perda de movimento, de sensação ou de uma função em um local específico do corpo).

Encefalite Crônica

Esta condição se trata de uma inflamação lenta e gradual, que é caracterizada por crises epilépticas frequentes e graves.

Panencefalite Esclerosante Subaguda (PEESA)

Também conhecida como Doença da Dawson, é uma complicação degenerativa rara, que costuma surgir sete anos depois de o vírus do Sarampo infeccionar a região do cérebro. Este tipo de distúrbio cerebral progressivo e, geralmente, fatal, tem como principais sintomas:

    • Queda no desempenho escolar;
    • Esquecimento e demência precoce;
    • Alterações de humor;
    • Distração;
    • Sonolência;
    • Episódios de alucinação;
    • Mioclonias contínuas.

Saiba mais sobre a Encefalite na Criança

Por esse motivo, para evitar as possíveis Complicações Neurológicas que são causadas pelo Sarampo, é que a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) recomenda que a pessoa, com exceção das grávidas e dos imunodeprimidos, procure o SUS (Unidade Básica de Saúde) ou uma clínica especializada, e tome a vacina em duas doses:

  1. A partir do 12º mês de vida da criança;
  2. Entre os 15 e os 24 meses.

Além disso, também devem passar por um processo semelhante, os adultos, nascidos depois de 1960, que ainda não foram vacinados e que não contraíram a doença na infância. Neste caso, a dose a ser tomada é a Tríplice-viral, em que a pessoa é protegida do Sarampo, da Caxumba e da Rubéola.

Referência: MedLink

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!