Apesar de ser a segunda causa que mais leva os adultos a buscar atendimento médico, as tonturas ou vertigens também podem atingir as crianças. Por não ser um sintoma muito comum nos pequenos, pode ser motivo de ansiedade e preocupação para os pais ou responsáveis.

Continue a leitura desse artigo e saiba mais sobre as tonturas na infância, assim como suas causas, consequências e métodos de tratamento.

Tontura na Infância – O Que é?

A tontura pode ser definida como qualquer alteração no equilíbrio corporal, sendo que o tipo rotativo, também conhecido como vertigem, é o mais relatado por pacientes. Nele, a pessoa afetada tem a sensação que o ambiente ao seu redor está girando ou até mesmo que seu corpo está rodando.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) a frequência dos episódios de tontura em uma criança chegam a oscilar em 15% quando estão em idade escolar. No entanto, essa incidência pode ser maior visto que as crianças podem ter dificuldades em reconhecer os sintomas de tontura, logo relatam esses episódios como sendo uma dor de cabeça ou dor de barriga.

Tonturas na Infância – Manifestações e Causas

As manifestações de tonturas nas crianças podem variar de acordo com sua idade, uma vez que elas não sabem relatar o que estão sentindo quando são muito pequenas. A partir dos 5 anos, a criança já consegue identificar os sintomas e referir-se a eles como tontura. Durante esse período, é preciso que os pais ou responsáveis fiquem atentos a 3 sistemas sensoriais, sendo eles:

  • Propriocepção – Permite ao indivíduo ter a percepção de sua localização, orientação e posição do corpo no espaço;
  • Visual – Responsável por enviar informações ao cérebro, para serem processadas e virarem imagens;
  • Vestibular – Responsável pela detecção de movimentos do corpo, contribuindo também para a manutenção do equilíbrio.

As causas mais frequentes que levam crianças a ter episódios de tontura são enxaqueca vestibular, insuficiência unilateral dos labirintos, síndromes somatoformes e vertigem de posicionamento, além de causas sistêmicas como distúrbios vasculares, metabólicos, hepáticos, sanguíneos como a anemia e infecciosos como a parasitose intestinal.

Tonturas na Infância – Sintomas

Os sintomas da vertigem (ou tontura) podem não ficar claros para uma criança pequena. Por esse motivo, é importante que os pais ou responsáveis fiquem atentos a certos comportamentos, como:

  • Choro aparentemente sem motivo;
  • Irritação;
  • Quedas no chão;
  • Isolamento;
  • Levar as mãos à cabeça, como se algo estivesse incomodando;
  • Sudorese excessiva;
  • Palidez;
  • Dores de barriga sem razão aparente;
  • Enjoo;
  • Dores de cabeça frequentes;
  • Vômito.

Algumas vezes, alucinações visuais e olfativas também podem fazer parte do quadro, assim como casos de convulsões.

Tontura na Infância – Consequências Para a Criança

Quando surgem em um grau moderado, as tonturas ou vertigens podem comprometer consideravelmente a sociabilidade da criança ou adolescente, fazendo com que ele(a) não queira participar de atividades escolares ou de lazer.

Além disso, a alta frequência desse quadro pode afetar aspectos como o desenvolvimento motor, comportamento psicológico, rendimento escolar, e desenvolvimento da fala e escrita.

Tontura na Infância Tem Tratamento?

Antes que um tratamento seja disponibilizado para seu filho, é preciso que ele passe por uma bateria de exames a fim de descobrir a verdadeira causa das tonturas, pois cada tipo de agente desencadeador requer um tratamento específico. No entanto, alguns médicos podem preferir partir para profilaxias não farmacológicas, ou seja, recorrer a medidas como reeducação alimentar, postural ou vestibular, além de psicoterapia e fisioterapia.

Lembre-se, somente um profissional especializado poderá diagnosticar corretamente seu filho.

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!