A Importância da Leitura na Educação Infantil

leitura-na-educacao-infantil

Você sabia que estimular um simples gesto, ainda mais durante a fase inicial da vida de uma pessoa, é capaz de proporcioná-la conhecimento e ampliação, tanto do vocabulário, quanta da escrita?!

É isso que acontece quando você apresenta este novo universo para uma criança, que por estar em uma fase de desenvolvimento, têm mais facilidade para conhecer e absorver melhor novas oportunidades.

Continue acompanhando este artigo para saber mais sobre a Importância da Leitura na Educação Infantil, e quais são os benefícios e impactos deste hábito em sua vida.

A Importância da Leitura na Educação Infantil – Muito Além de Algumas Páginas Escritas

Para muitos, ao ler para uma criança, você não está só doando o seu tempo e o carinho, mas está lhe proporcionando aprendizado e uma oportunidade para ela se desenvolver e enriquecer o seu vocabulário, por exemplo, que são tão importantes quantas as outras finalidades.

Quando se cria esse hábito, seja na escola ou em casa, por exemplo, você está apresentando uma gama de experiências e de conquistas, oferecendo uma chance de aflorar a criatividade e a sua independência, para estes, que um dia, serão leitores assíduos.

A Importância da Leitura na Educação Infantil – Quais São os Benefícios?

Ao ler para uma criança, principalmente quando ela tem até seis anos de idade, você está fazendo com que a mesma estimule e acelere o desenvolvimento do cérebro, já que ela é capaz de assimilar, com mais facilidade, as suas experiências.

Quando isso acontece, o pequeno está exercitando a sua capacidade de se concentrar, focar e prestar atenção no que estão lhe dizendo, além de desenvolver a memória e o raciocínio, para se lembrar de tudo posteriormente e poder relacionar a experiências.

Outro fator interessante dessa atividade, é que quando a criança entende a história que lhe está sendo contada, ela é capaz de entender questões relacionadas às experiências do seu cotidiano, como a lidar com os sentimentos, identificar e relacionar objetos às suas descrições e assim por diante.

Sem contar que ao entrar no universo de vários personagens tão distintos entre si, o pequeno consegue desenvolver a empatia logo cedo, já que ele conhece cada personagem e o seu ponto de vista de acordo com as descrições da história que lhe está sendo narrada.

Além de criarem ainda mais laços através da dedicação de tempo, de troca e de carinho, ao ler para os seus filhos, os pais têm oportunidades de abordar determinados temas, sendo eles dos mais delicados aos mais improváveis, daqueles que no cotidiano, eles nem imaginam que poderiam servir de pauta para uma conversa com seus pequenos, como, por exemplo, o porquê dos animais de livros e filmes falarem e os da vida real não.

Da mesma forma que elas lhe proporcionam o enriquecimento e a expansão de vocabulário, as leituras, principalmente, antes dos pequenos irem para cama dormir, ajudam a relaxarem, consequentemente, dessa forma conseguem ter uma boa noite de sono.

A Importância da Leitura na Educação Infantil – Um Gesto Simples e Transformador

É importante lembrar que essa atividade deve ser apresentada aos pequenos de forma natural e desde que respeite a faixa etária, o progresso de desenvolvimento cerebral em que eles se encontram e os seus limites, já que cada indivíduo tem o seu tempo para assimilar as coisas, de um modo geral.

  • De 10 meses a 2 anos: crianças desta faixa etária costumam se identificar com histórias mais curtas, que tenham imagens de fácil identificação e/ou que apresentam alguma forma de entretenimento, como musicalização e fantoches, por exemplo;
  • De 3 a 6 anos: os livros mais indicados são os que apresentam histórias similares ou que narram experiências que estejam mais próximas da realidade da criança em questão, assim como também não podem faltar as imagens e os entretenimentos para atrair ainda mais ainda sua atenção.

Para mais informações sobre o desenvolvimento cerebral do seu pequeno, entre em contato com seu neuropediatra de confiança.

Artigo publicado em: 21/07/2017.

Artigo atualizado em: 23/05/2019.

Por: Dra. Paula Girotto

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!