O limite costuma ser estabelecido pelos pais diariamente, de forma natural, com a intenção de proteger seus filhos. Essas experiências são importantes não só para manter a criança segura, mas também porque os limites exercem diferentes funções no seu desenvolvimento.  

Quando a criança ouve os seus pais dizendo a palavra “não”, fica muito claro para ela que a sua vontade é diferente da vontade dos seus pais. Por isso, os limites são uma forma de fazer com que a criança entre em contato com a diferença. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre a importância de impor limites a uma criança e como isso pode influenciar no seu desenvolvimento.

Importância dos Limites no Desenvolvimento Infantil

Alguns limites podem ser impostos pelos pais de modo natural: tentar impedir a criança de explorar determinados cômodos da casa sozinha, por exemplo, quando ela começa a engatinhar ou andar, já é um limite estabelecido. O mesmo vale para quando o pequeno tenta alcançar determinados objetos, ou quer ficar acordado até mais tarde, só para ficar brincando, ou o simples fato de você oferecer uma opção diferente daquela que ela pedia.

É importante ressaltar que não é só a criança que aprende com essa imposição de limites. Os pais e/ou responsáveis, que são quem estipulam o que os pequenos podem ou não fazer, também conseguem – ou ao menos deveriam – absorver grandes lições.

Convivendo com os Limites no Desenvolvimento Infantil

Quando os filhos ouvem um “não”, geralmente começam a chorar, fazer birra, ou buscam uma outra alternativa para conseguirem o que querem. Essa situação continua se repetindo até depois que eles crescem, apenas mudando o contexto.

Isso pode ocorrer em situações como: quando você sugerir alguma ideia no trabalho, mas o seu chefe optar por algo que um colega seu propôs; você querer jantar em um determinado restaurante ou querer comer uma comida específica e o seu parceiro(a) decidir por outra; você gostar de um estilo musical, mas na social com os amigos, você acabar sendo a minoria…

Enfim, são esses e muitos outros exemplos que estão presentes no seu dia a dia em forma de um “não”, mas que você acaba nem percebendo – assim como acontece com os bebês na primeira fase da vida.

Quando a pessoa passa por esse tipo de experiência desde criança, ela está propensa a aceitar ser contrariada com mais facilidade. O fato de alguém discordar de você não quer dizer que ele não goste da sua opinião, mas, muitas vezes, ele pode ver por um ponto de vista que, até então, você ainda não havia enxergado, ou só não era hora e o momento – dentre tantas outras explicações.

Por isso, esse hábito deve ser posto em prática assim que o bebê nasce. É ouvindo um “não” atrás do outro, que ele vai se acostumando e assimilando o que deve ou não ser feito. Afinal, a prática de ouvir é uma das técnicas mais eficazes no aprendizado das crianças.

Além disso, é importante que você, como pai e/ou responsável, saiba como dizer “não” ao seu filho, já que as palavras e a forma com que elas são ditas podem marcá-lo positiva ou negativamente – e crianças frustradas desde a infância é a última coisa que queremos.

Você está lendo: Conheça a Importância dos Limites no Desenvolvimento Infantil.

Limites no Desenvolvimento Infantil – Como Impor?

Os limites devem ser impostos de forma que a criança seja capaz de entender o porquê podem ou não fazer determinadas coisas, o que podem fazer ou não em determinados lugares, e assim por diante.

Ao lidar com essas situações de forma autoritária e na medida certa, você está batalhando para criar um adulto responsável, respeitoso e que se preocupa com o próximo. Veja a seguir algumas dicas de como impor limites no desenvolvimento infantil:

  • Imponha regras e limites aos pequenos. Desta forma, você estará ensinando que ele lhe deve respeito e que as coisas não são sempre como ele quer;
  • Estabeleça condições. É importante que você mantenha a sua palavra nesse quesito. Quando o seu filho não cumprir com alguma regra ou te desobedecer, é preciso colocar alguma consequência, não física, para que ele aprenda cada vez mais. Então, ao quebrar essa regra, você não estará lhe ajudando em nada;
  • Não fique repetindo as regras a todo o momento. Esse tipo de comportamento pode acabar tendo o efeito inverso na criança, além de não ajudá-la a criar responsabilidades e nem a ser uma pessoa de palavra;
  • Adapte as regras e punições conforme a faixa-etária e as necessidades do seu filho. É importante reparar nas coisas que são do agrado dele, como é a rotina do pequeno, dentre outras coisas, já que não adianta você querer tirar dele um passeio no final de semana com os amigos se ele não tiver o hábito de fazer isso;
  • Explique que as regras são válidas não só em casa. Ao explicar o porquê de determinada regra, o seu filho ficará ciente de que determinado comportamento não deve ser repetido e se preciso for, reforce que determinada atitude não deve ser praticada em casa e em nenhum outro lugar.

Se por acaso você perceber que precisará de ajuda, procure um neuropediatra de confiança. Como este é o profissional mais indicado e capacitado para lidar com este tipo de situação, ele poderá te aconselhar e indicar outros métodos de impor limites aos seus filhos.

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!