Tabela de Conteúdos

Síndrome do Pânico em Crianças e Adolescentes

Síndrome do Pânico em Crianças e Adolescentes: Ao contrário das preocupações leves e ocasionais que uma criança frequentemente tem, a síndrome do pânico pode afetar drasticamente a vida da criança, interrompendo as atividades normais dele ou dela quando um episódio de pânico acontece ou quando a criança se torna apavorada e preocupada com os próximos ataques de pânico.

Algumas crianças e adolescentes com síndrome do pânico evitam lugares onde elas acham que podem ter ataques de pânico, ou tem medo constante de ficar ou ir para lugares onde não há ajuda disponível se acontecer um ataque de pânico.

Uma criança tendo um ataque de pânico pode ficar assustada ou irritada de repente, sem nenhuma explicação clara. Esse comportamento geralmente é confuso para outras pessoas.

Às vezes a criança tendo um ataque de pânico explica seu sintomas de maneira incorreta, como uma resposta à uma causa externa (por exemplo, “Começou quando eu vi aquele cachorro”).

Estas crianças, especialmente se forem jovens demais, podem não conseguir articular os medos intensos que elas experimentam durante um ataque de pânico.

A síndrome do pânico é diferente da previsibilidade dos ataques de pânico. Se uma criança tiver um medo previsível de uma situação em particular (como um encontro com uma pessoa nova) ou previsivelmente entra em pânico ao ver algo que ele ou ela acha assustador (como uma aranha), a criança pode ter uma fobia em vez de síndrome do pânico.

Fobias são medos intensos previsivelmente disparados por determinadas situações ou objetos. As fobias incluem fobia social (associada com um medo intenso ao se expor a novas pessoas) e fobias específicas (associadas ao medo intenso de se expor a situações ou objetos).

Se não for tratada, a síndrome do pânico pode levar a limitações consideráveis em outras áreas da vida da criança.

 

Adaptado de: AnsiedadeEPanico

Por: Dra. Paula Girotto