Tarefas simples como dançar, correr, andar em linha reta, desenhar, comer com talheres e escrever são difíceis para o seu filho? Todas essas funções são dependentes diretas da coordenação motora. É normal até uma certa idade seu filho não conseguir realizar tais tarefas, mas se isso tornou-se rotina, algo deve estar errado na gestão dos movimentos.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre os tipos de coordenação motora existentes, bem como em qual etapa da infância elas se iniciam.

Coordenação Motora – O Que É?

Coordenação motora é a capacidade que uma pessoa tem de realizar movimentos articulados com os músculos esqueléticos, permitindo que a mesma domine seu corpo no espaço e controle seus movimentos. Ou seja, a coordenação é a capacidade de sincronizar vários movimentos por meio do cérebro, músculos e articulações.

Coordenação Motora – Tipos

A coordenação motora pode ser dividida em quatro categorias, sendo elas:

  • Coordenação Motora Geral – Faz com que o indivíduo consiga dominar seu próprio corpo e controlar todos os movimentos. É essencial para andar, pular e realizar outros exercícios do tipo.
  • Coordenação Motora Específica – Faz com que o indivíduo controle os movimentos específicos para realizar um tipo determinado de atividade, como chutar uma bola ou participar de um jogo de basquete.
  • Coordenação Motora Grossa – Envolve principalmente grandes grupos musculares, podendo ser desenvolvida a partir da prática de atividades físicas.
  • Coordenação Motora Fina – Relaciona-se com atividades que exigem muita precisão, envolvendo músculos menores.

Para garantir que os movimentos sejam corretamente realizados, é necessária uma harmoniosa integração entre os sistemas esquelético, muscular, nervoso e sensorial.

Coordenação Motora Grossa

Envolve atividades físicas de muito impulso e força, que abrangem uma gama maior de músculos. Seu desenvolvimento se dá a partir da primeira infância e precisa de exercícios que a estimulem. As tarefas que exigem a Coordenação Grossa são correr, levantar da cama, pular, caminhar, erguer objetos, dançar, subir escadas, praticar esportes, etc.

Coordenação Motora Fina

Envolve tarefas sutis e detalhadas do dia-a-dia, sendo possível somente pela presença de pequenos músculos distribuídos pelo corpo, em sua maioria nas mãos e pés. Estes são os responsáveis por habilidades motoras como escrever, recortar papéis, comer de talheres, desenhar, dar nós no sapato, fazer colagens, etc.

Para trabalhar essas funções, alguns exercícios estimulantes devem ser realizados de acordo com a idade da criança.

Coordenação Motora – Fases

Todas as ações após o nascimento da criança, por mais sutis que sejam, são dependentes da função motora. Conforme seu crescimento, esta se torna um fator essencial para a autonomia e independência dos pequenos.

Nos primeiros 2 meses de vida, é esperado que os bebês consigam juntar as mãos e virar a cabeça para procurar quem está falando com elas. No quarto mês, atos de agarrar objetos, se virar de barriga para baixo e manter a cabeça firme enquanto está sentada podem ser observados.   

Dos 6 aos 9 meses, muitos avanços podem ser percebidos. Entre eles, estão tocar o próprio pé, levantar os braços para ser carregada, pegar a comida com a mão, passar os brinquedos de uma mão a outra, começar a sentar sem apoio, bater os brinquedos enquanto os segura com ambas as mãos, engatinhar, tentar ficar em pé com apoios, etc.

A partir de 1 ano de idade, a criança já possui uma bagagem de habilidades, o que facilita a desenvoltura mais ágil em suas tarefas. Rabiscar papéis, guardar objetos em recipientes, empilhar blocos ou caixas, virar a página de um livro, segurar talheres sem ajuda, andar e correr sem apoio, inclinar-se para pegar objetos, arremessar e chutar bolas sem precisão, são ações que poderão fazer parte do dia-a-dia da criança.

Com o passar dos anos, as habilidades ficam mais desafiadoras e precisas. Tarefas como pedalar no triciclo, começar a traçar as letras do nome em um papel, equilibrar-se em um pé só por alguns segundos, vestir-se de maneira independente, alternar os pés durante as pisadas na escada, parecem ser naturais para nós, mas para eles são um grande desafio.

Coordenação Motora no Ambiente Escolar

O ambiente escolar é um ótimo lugar para desenvolver as habilidades motoras. As aulas de educação física e atividades artísticas que envolvem escrita e pintura são exemplos de momentos nos quais a escola pode ajudar o desenvolvimento motor do aluno. É válido lembrar que cada criança possui um ritmo diferente, sendo importante que o professor ou responsável pela turma esteja atento ao ritmo e dificuldade individuais da criança, sendo esse um importante momento para identificar alguma desordem motora.

Se você percebeu ou foi alertado de alguma dificuldade motora que seu filho está enfrentando, como escrever ou manusear pequenos objetos, busque ajuda de um profissional especializado que possa ajudar você e seu filho, oferecendo o melhor diagnóstico e tratamento possível caso a desordem seja confirmada.

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!