As crianças e o desenvolvimento da fala

As habilidades linguísticas e de comunicação são fundamentais para o desenvolvimento de uma criança. Uma boa comunicação torna-os mais capazes de se engajar na sociedade e de aprender, tanto no ambiente geral, quanto na escola.

Quando falamos de comunicação, estamos falando tanto do discurso e da interpretação da linguagem. O discurso é o meio verbal de comunicação que usa regras para juntar palavras e expressar pensamentos e sentimentos. Já a interpretação da linguagem ocorre através do entendimento da comunicação falada e escrita.

Existem quatro componentes principais da linguagem:

  1. Fonologia: envolve as regras sobre a estrutura e a seqüência de sons de fala.

  2. Semântica: consiste no vocabulário e em como os conceitos são expressos através de palavras.

  3. Gramática: envolve duas partes – a primeira, sintaxe, é as regras em que as palavras são dispostas nas frases; a segunda, morfologia, é o uso de marcadores gramaticais (indicando voz ativa ou passiva etc.).

  4. Pragmática e prosódia: envolve as regras para uma comunicação adequada e eficaz. A pragmática envolve três habilidades:

– Usar a linguagem para cumprimentar, exigir etc.

– Mudar a linguagem para falar de forma diferente dependendo com quem e do que você está falando;

– Seguir as regras de um diálogo tais como revezar a vez de falar, permanecer no tópico, reponder ao que é perguntado.

Desde o nascimento, as crianças são programadas para desenvolver a fala e a linguagem. Os primeiros cinco anos são os mais críticos, mas o desenvolvimento da língua continua durante a infância e adolescência.

Durante os primeiros cinco anos, a estimulação do desenvolvimento da linguagem é importante já que o cérebro está desenvolvendo novas células nervosas, bem como múltiplas conexões entre as células nervosas para servir a função da linguagem tanto expressiva e receptiva. A falta de estimulação durante este período, pode resultar em uma criança com um progresso mais lento ou habilidades de comunicação pobres.

Nos estágios iniciais do desenvolvimento da linguagem, o cérebro é programado para atender aos sons de fala e começar a imitá-los. Cedo, os bebês gostam de fazer sons por conta própria. Mais tarde eles tentam repetir sons e palavras aos quais estão expostos.

As crianças costumam dizer suas primeiras palavras entre nove e 18 meses de idade. As primeiras palavras mais comuns são “mama” ou “papa”. Com a idade de 18 meses uma criança geralmente tem um vocabulário de 50 a 150 palavras. 

Por volta de 18 meses, as crianças começam a juntar algumas palavras para formar uma frase.

Com 2 anos eles podem usar mais de 300 palavras e compreender aproximadamente 1.000 palavras.

Com cerca de 3 anos de idade, as crianças começam a usar a linguagem para todos os tipos de coisas. Eles não estão apenas tentando obter as coisas perguntando, mas também falam sobre experiências passadas e até mesmo começam a usar a linguagem para fingir.

No pré-escolar (4 ½ anos) as crianças estão começando a entender e usar as regras da linguagem para expressar posse de algo, conectar pensamentos e quantificar. A linguagem se torna mais parecida com a dos adultos.

As crianças do ensino fundamental continuam a expandir o uso da linguagem oral, mas também aprendem a linguagem escrita.

À medida que as crianças progridem através do ensino médio, continuam a expandir seu vocabulário e aperfeiçoar suas habilidades gramaticais, além de escrever com mais complexidades.


DICA: APRENDA A ESTIMULAR A FALA DO SEU FILHO.

 

Fonte: Dra. Paula Girotto e  http://www.fonologica.com.br/blog/desenvolvimento-tardio-da-fala-e-da-linguagem/

Por: Dra. Paula Girotto