Matemática nunca foi uma matéria fácil de se aprender. Operações com soma, divisão, multiplicação e subtração já tiraram – e ainda tiram – o sono de muita gente. Em alguns casos, no entanto, essa dificuldade extrema pode ser derivada de um distúrbio de aprendizagem que afeta as habilidades da criança de realizar cálculos matemáticos, afetando não somente seu desempenho escolar, como também tarefas simples do dia a dia.

A boa notícia é que existem diversos exercícios estratégicos capazes de ajudar as crianças a recuperar as habilidades matemáticas afetadas pela discalculia. Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre este distúrbio, suas causas e tratamento.

Discalculia – O Que É?

A discalculia é uma condição permanente na vida de uma pessoa. Sua ocorrência está associada a uma má formação neurológica, capaz de provocar transtornos ligados à aprendizagem de todos os conteúdos que envolvam números.

Crianças que sofrem com este distúrbio desenvolvem problemas com operações matemáticas e seus conceitos, classificações de ordem e/ou sequência numérica. Elas podem ter dificuldade em manter os números na mente durante a execução de problemas matemáticos com várias etapas, por exemplo.

Discalculia – Sintomas

Esse tipo de distúrbio de aprendizagem pode desencadear diferentes dificuldades em cada criança. Deste modo, os sintomas também podem variar de acordo com cada indivíduo e com sua faixa etária, sendo mais comum a percepção durante a pré-escola. Veja a seguir quais sinais procurar durante cada etapa escolar de seu filho:

Pré-Escola

  • Dificuldade no reconhecimento de padrões e escalas, como do maior para o menor e vice versa;
  • Dificuldade de aprender a contar, mesmo depois de muito tempo que os colegas da mesma idade já conseguem se lembrar de números na ordem correta;
  • Parece não entender o significado de “contagem”;
  • Dificuldade em reconhecer símbolos numéricos e associá-los à palavra escrita (como 6 e seis).

Ensino Fundamental

  • Dificuldade em entender palavras relacionadas à matemática, como “maior” e “menor”, e sinais de operações, como “+” e “-”;
  • Dificuldade em aprender e memorizar operações matemáticos básicas, como 2 + 4 = 6;
  • Uso dos dedos para contar ao invés de estratégias mais avançadas, como a matemática mental;
  • Problemas com representações visuais e espaciais de números, como linhas numéricas.

Ensino Médio

  • Dificuldade em entender valores, escrever um número corretamente ou colocá-lo na ordem certa;
  • Problemas com frações e medidas;
  • Dificuldade em acompanhar placares ou pontuações em um jogo esportivo, por exemplo.

A discalculia pode acompanhar um indivíduo durante toda a sua vida, atrapalhando não somente seus estudos, como também suas habilidades diárias, incluindo gerenciamento de tempo e interações sociais.

Discalculia e Outros Transtornos

Crianças com problema de discalculia geralmente apresentam outros distúrbios de aprendizagem, simultaneamente. Além disso, sinais de outros transtornos podem ser confundidos com os sintomas de discalculia, atrasando o diagnóstico e o tratamento.

O distúrbio numérico pode estar relacionado a algumas desordens genéticas, como a síndrome do X frágil, de Gerstmann e de Turner. Os quadros que mais aparecem junto a ele são a dislexia (entre 43-65% dos casos) e o TDAH.

Discalculia – Diagnóstico e Tratamento

Para diagnosticar a discalculia, é necessário saber identificar os sinais dados pela criança e encaminhá-la a um profissional especializado, que solicitará diversos testes e fará uma análise completa, a fim de confirmar – ou descartar – a suspeita do distúrbio. Vale ressaltar que a avaliação completa não contempla apenas a área das habilidades matemáticas, já que outras questões de aprendizagem e atenção muitas vezes ocorrem junto a discalculia, e também devem ser analisadas. É importante ter um entendimento completo do que está acontecendo com a criança para se obter um diagnóstico assertivo.

O tratamento deve ser multidisciplinar, ou seja, desempenhado por profissionais de diversas áreas de atuação, incluindo professores em educação especial para a instrução estratégica da matemática. Se você desconfia que seu filho esteja sofrendo com a discalculia, não deixe de procurar um neuropediatra para confirmar – ou descartar – sua suspeita.

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!