Em geral, o TDAH (ou Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) começa a dar sinais ainda na infância, e pode persistir durante a vida adulta. O distúrbio é responsável por contribuir para a baixa autoestima, relacionamentos problemáticos e dificuldades na escola e futuramente no trabalho.

Não receber o tratamento adequado durante a infância pode causar efeitos indesejados a longo prazo. Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre o TDAH, e como ele se manifesta da infância até a vida adulta.

tdah-infancia-vida-adulta

TDAH – O que é?

O TDAH nada mais é do que uma alteração comportamental, que acaba causando sintomas como problemas de atenção, agitação motora, impulsividade, ansiedade, além de dificuldade de planejamento e organização.

Apesar de não ter cura, o distúrbio pode ser tratado para minimizar os efeitos causados pela alteração cerebral. Ter um diagnóstico adiantado e realizar o tratamento correto pode fazer com que o paciente não leve o TDAH de forma tão aparente para a vida adulta.

TDAH na Infância

Quando uma criança com TDAH entra em fase escolar, podem surgir problemas como o mau desempenho nas matérias e suspensões, que acabam resultando em outros obstáculos como a baixa autoestima, dificuldade de socialização, relacionamentos problemáticos, agitação intensa, falta de atenção, organização e foco.

Quando as características apresentadas pela criança apontam para transtornos de aprendizagem, é necessário que haja uma avaliação diagnóstica especializada com um neuropediatra, médico responsável pelo desenvolvimento neurológico infantil.

TDAH – Medicar ou Não?

Se seu filho é muito pequeno e foi diagnosticado com essa síndrome, é normal que você tenha receio em medicá-lo diariamente. Desta forma, o mais aconselhável é montar uma análise de risco-benefício, onde você pode listar os pontos positivos e negativos da medicação, tendo assim um melhor controle e entendimento de suas decisões.

Atualmente, existem variadas opções de medicamentos para tratar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, que são psicoestimulantes em sua maioria. Essas medicações têm o propósito de reduzir a hiperatividade e impulsividade, além de melhorar a capacidade de concentração e aprendizado do paciente. No entanto, é preciso ter o aval médico para considerar o uso da medicação.

TDAH na Vida Adulta

O tratamento inadequado ou não tratamento de uma criança com TDAH pode causar grande impacto em sua vida adulta. Estudos revelam que 79% dos adultos com TDAH não tratados na infância apresentam sintomas de ansiedade, depressão e doenças físicas, se comparados com 51% dos adultos isentos da distúrbio.

Esses adultos que não obtiveram tratamento tem 78% mais chance de serem dependentes de tabaco, e são 58% mais propensos ao uso de drogas ilícitas, já que o uso das substâncias pode fazer com que o indivíduo consiga se concentrar e focar em um único objetivo.

Os sintomas do TDAH também podem interferir nas relações pessoais, afetando negativamente o convívio familiar, reduzindo as chances de sucesso pessoal e satisfação, e colocando em risco casamentos saudáveis. Para que seu filho não venha a ter esses problemas futuros, procure um neuropediatra para lhe ajudar. O tratamento do transtorno pode ajudar seu filho a ter um futuro melhor.

Artigo publicado em: 12/07/2017.

Artigo atualizado em: 08/03/2019.

Por: Dra. Paula Girotto

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!