Tabela de Conteúdos

Férias Escolares: Entenda a Importância Desse Período

O tempo das férias fundamental e de extrema importância para o descanso físico e psicológico, além de uma ocasião ideal para reorganizar os pensamentos.

Geralmente, a rotina escolar de crianças e adolescentes é cansativa e exigente; muitas são até mesmo superestimuladas. Tem uma hora que o corpo e a mente cansam. Então a necessidade do descanso e da brincadeira. As férias se tornam uma ocasião para fazer atividades que, no dia a dia, não serão possíveis, como brincadeiras e passeios.

Mas nem todo tipo de atividade é bem-vinda nesta fase. As atividades pedagógicas, por exemplo, só são indicadas se forem feitas de maneira lúdica, ou seja, o conteúdo aprendido na escola pode e deve ser recordado no dia a dia da criança, mas na forma de brincadeira e não de estudo. Por exemplo, a filha, ao ajudar a mãe a fazer um bolo, aprende matemática, física. Isso sim é um aprendizado, mas a rotina precisa ser de férias, porque, agora, não é hora de estudar.

Uma sugestão é aproveitar as possibilidades que alguns pais têm de, por exemplo, deixar as crianças com os avós ou com alguém de confiança, contratar uma babá para este tempo, inscrever os filhos em alguma colônia de férias ou verificar se a escola oferece algum tipo de recreação.

O que os pais podem fazer também, que é difícil, pois estão na rotina de trabalho, é reservar os fins de semana para fazer outras atividades com as crianças, também ter esse contato familiar de pais e filhos, mesmo que seja em tempo menor. Chegar um dia, no fim da tarde, fazer um passeio, ir ao cinema, fazer um lanche. O importante é que esse contato seja prazeroso.

O período dedicado ao descanso e à brincadeira não é desculpa para a criança ficar tempo demais em frente à TV ou à internet. Mesmo neste período, a necessidade de impor limites para as crianças continua. O tempo deve ser limitado, mas não exagerado, porque existem outras atividades que a criança pode e deve fazer.

 

Adaptado de: NoticiasCancaoNova.com

Por: Dra. Paula Girotto