Como ajudar uma criança hiperativa

Crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade – TDAH – podem ser um desafio para os adultos.

Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para ajudar:

Organize sua agenda em casa: imponha momentos específicos para acordar, comer, brincar, fazer lição de casa, fazer tarefas, assistir TV ou jogar videogames e ir para a cama. Escreva a programação e pendure-a onde seu filho vai sempre vê-la. Se o seu filho ainda não consegue ler, use desenhos ou símbolos para mostrar as atividades de cada dia. Explique antecipadamente quaisquer alterações na rotina e certifique-se de que o seu filho entende as alterações.

Imponha as regras da casa: expresse as regras de comportamento para a família de maneira simples, clara e curta. É importante explicar o que acontecerá quando as regras forem obedecidas e quando elas não forem. Anote as regras e os resultados de não segui-las. Pendure esta lista ao lado da programação diária. As quebras de regra devem receber punições justas, rápidas e consistentes.

Seja positivo. Diga ao seu filho o que você quer, e não o que você não quer. Recompense seu filho regularmente por qualquer bom comportamento – mesmo pequenas coisas como se vestir e fechar as portas silenciosamente. Crianças com TDAH muitas vezes passam a maior parte do dia sendo informados sobre o que estão fazendo de errado. Eles também precisam ser elogiados pelo bom comportamento.

Certifique-se de suas instruções são compreendidas. Primeiro, chame a atenção do seu filho. Olhe diretamente em seus olhos. Em seguida, diga ao seu filho em uma voz clara e calma especificamente exatamente o que você quer. Peça ao seu filho para repetir as instruções de volta para você. Geralmente é melhor manter as direções simples e curtas. Para tarefas difíceis, dê apenas uma ou duas direções de cada vez. Em seguida, felicite seu filho quando ele ou ela completa cada passo.

Seja consistente. Apenas prometa o que você vai entregar. Faça o que você diz que vai fazer. Repetir direções e solicitações muitas vezes não funciona bem. Quando seu filho quebra as regras, chame sua atenção apenas uma vez e com uma voz tranquila. Se a advertência não funcionar, siga com a punição que você prometeu. (Evite o castigo físico, o que muitas vezes piora as coisas).

Certifique-se de que alguém vigia o seu filho o tempo todo. Porque são impulsivos, as crianças com TDAH precisam de mais supervisão do que outras crianças de sua idade. Certifique-se de que seu filho é supervisionado por adultos durante todo o dia.

Preste atenção ao seu filho em torno de seus amigos. É difícil para as crianças com TDAH aprender habilidades e regras sociais. Tenha cuidado para selecionar companheiros de brincadeira para seu filho com linguagem semelhante e habilidades físicas. Convidar apenas um ou dois amigos em primeiro lugar. Observe-os atentamente enquanto jogam. Recompense bons comportamentos de jogo. Acima de tudo, não permita agressões e gritos exagerados em sua casa ou quintal. 

Ajude com as atividades escolares. As manhãs de escola podem ser difíceis para crianças com TDAH. Prepare-se na noite anterior – coloque as roupas da escola e prepare a mochila. Permita tempo suficiente para o seu filho se vestir e comer um bom café da manhã. Se o seu filho é muito lento de manhã, é importante ter tempo suficiente para vestir e comer.

Configure a rotina do dever de casa. Escolha um lugar regular para fazer lição de casa. Este lugar deve ficar longe de distrações, como outras pessoas, televisão e jogos de vídeo-game. Dividir o tempo da lição de casa em partes pequenas e fazer pausas. Por exemplo, dar ao seu filho um lanche após a escola e, em seguida, deixá-lo jogar por alguns minutos. Então comece o tempo da tarefa de casa. Parar frequentemente para curtas “pausas divertidas” que permitem que seu filho faça algo agradável. Dê ao seu filho muito incentivo, mas deixe ele próprio fazer o trabalho escolar.

Concentre-se no esforço, não só nas notas. Recompense seu filho quando ele terminar o trabalho da escola. Você também pode dar recompensas extras se ele ganhar notas melhores.

Outras dicas:

  • Aproveite o tempo para ouvir seus filhos;

  • Ame-os abraçando-os, fazendo-lhes cócegas, lutando com eles (eles precisam de muito contato físico);

  • Procure e incentive seus pontos fortes, interesses e habilidades. Ajude-os a usar estes como compensações para quaisquer limitações ou deficiências;

  • Recompense-os com elogios, boas palavras e sorrisos;

  • Aceite-os pelo que são e pelo seu potencial humano de crescimento e desenvolvimento. Seja realista em suas expectativas e demandas.

  • Envolva-os no estabelecimento de regras e regulamentos, horários e atividades familiares.

  • Diga-lhes quando se comportam mal e explique como você se sente sobre seu comportamento;

  • Peça a eles que proponham outras formas de comportamento mais aceitáveis;

  • Dê-lhes tarefas razoáveis ​​e uma responsabilidade de trabalho familiar regular sempre que possível.

  • Dê-lhes uma mesada o mais cedo possível e, em seguida, ajude-os a planejar a gastar dentro do orçamento.

  • Fornecer brinquedos, jogos, atividades motoras e oportunidades que os estimulem em seu desenvolvimento.

  • Leia histórias agradáveis ​​para eles e com eles. Encoraje-os a fazer perguntas, a discutir histórias, a recontar a história

  • Além disso, aumente sua capacidade de concentração reduzindo os aspectos perturbadores do seu ambiente, tanto quanto possível (de-lhes um lugar para trabalhar, estudar e jogar).

  • Ajude-os a desenvolver a auto-estima e a competir com eles mesmos e não com os outros.

  • Insista que eles cooperem socialmente jogando, ajudando e servindo os outros na família e na comunidade.

  • Sirva de modelo para eles lendo e discutindo material de interesse pessoal. Compartilhe com eles algumas das coisas que você está lendo e fazendo.

  • Não hesite em consultar com professores ou outros especialistas sempre que você sentir que é necessário para entender melhor o que pode ser feito para ajudar seu filho a aprender.

Se você acha que seu filho pode ser hiperativo, procure um neuropediatra!

 

Fonte: Dra. Paula Girotto e https://www.nimh.nih.gov/health/topics/attention-deficit-hyperactivity-disorder-adhd/index.shtml

Por: Dra. Paula Girotto