Você já parou para pensar de onde surgiram suas manias? Você foi desenvolvendo ao longo do tempo ou as adquiriu ainda na infância? Os famosos pensamentos e tiques repetitivos são conhecidos como Transtorno Obsessivo Compulsivo, ou simplesmente TOC.

Esse tipo de quadro costuma surgir no início da adolescência (a partir dos 10 anos de idade) ou no começo da vida adulta (a partir dos 25 anos), mas tem se tornado cada vez mais comum na infância (entre 6-8 anos de idade).

Continue acompanhando este artigo para saber mais sobre o Transtorno Obsessivo Compulsivo, a interferência que provoca na vida de uma criança e como proceder diante desse quadro.

Transtorno Obsessivo Compulsivo em Crianças – O que é?

O TOC consiste em um transtorno de ansiedade que gera quadros de obsessões (pensamentos, impulsos ou imagens mentais, por exemplo) e/ou de compulsões nas crianças, muitas vezes sem que ela perceba.

Embora a origem do Transtorno Obsessivo Compulsivo seja desconhecida, sabe-se que ele pode ser classificado em duas categorias: TOC oriundo de uma predisposição genética (quando algum parente da família já possui) ou de uma eventualidade.

Transtorno Obsessivo Compulsivo em Crianças – Como identificar?

Para saber se o seu filho tem TOC, é necessário um acompanhamento e um diagnóstico assertivo médico, mas, para isso, é preciso prestar atenção em algumas características, tais como:

  • Presença de lesões na pele, devido a lavagens excessivas no corpo;
  • Gasto excessivo de sabão ou papel toalha;
  • Manias repetitivas;
  • Preocupação excessiva;
  • Repetição de ações mentais, como contar, repetir palavras e frases, por exemplo;
  • Dedicação em excesso para realizar uma tarefa, seja ela doméstica ou escolar;
  • Buracos e rasgos nos cadernos, devido ao ato de apagar várias vezes o mesmo lugar;
  • Medo descontrolado e exagerado de se machucar ou de adoecer;
  • Repetidas trocas de roupas sem necessidade.

Os sintomas citados podem vir acompanhados de:

  • Dor de cabeça;
  • Dor de barriga;
  • Tristeza repentina;
  • Angústia;
  • Entre outros.

Transtorno Obsessivo Compulsivo em Crianças – Pode ser Prejudicial ao Processo de Aprendizagem Pedagógico?

O Transtorno Obsessivo Compulsivo em si não chega a afetar o processo de aprendizagem pedagógico, mas pode gerar uma queda no rendimento escolar, já que, por ter pensamentos obsessivos, a criança não consegue se concentrar em mais nada ao seu redor, e até mesmo o perfeccionismo pode impedir ela de acompanhar o ritmo dos demais colegas de classe.

Além disso, o seu filho pode sofrer interferências em outras áreas, como a emocional, a social, a profissional e a afetiva, e também pode enfrentar quadros de angústia e de medo, já que ele fica tão imerso em seus pensamentos e manias, que acaba não percebendo que está deixando de vivenciar inúmeras situações e experiências.

Transtorno Obsessivo Compulsivo em Crianças – Tratamento

O tratamento do TOC é feito por meio do acompanhamento médico e de uma combinação entre uso de medicamentos, psicoterapia comportamental e um suporte escolar adequado, feito por profissionais habilitados a lidarem com crianças com esse tipo de diagnóstico.

Fonte
Guia Infantil

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!