Logo que nasce, o bebê tem um ritmo próprio, que é diferente da rotina de crianças maiores. A quantidade de sono também varia conforme a idade, e há motivos que levam psicólogos e pediatras a insistirem que as crianças devem dormir cedo.

Eles têm que dormir cedo para repor as energias liberadas de dia e para que a reposição do hormônio do crescimento possa agir no organismo no período noturno. A sedimentação da memória e a restauração celular também acontecem no sono.

Convém compreender que o organismo é regulado pelo relógio biológico. A periodicidade de 24 horas ao dia em nossas vidas é chamada de ritmo circadiano, expressão que significa “cerca de um dia”.

Até os 3 meses de idade, o bebê tem um ritmo conhecido como ultradiano, menor que 20 horas. A transição para o das crianças só vai ocorrer de acordo com as mudanças e a evolução de seus sistemas neurológico e endócrino, por exemplo.

O hormônio do crescimento tem um ciclo circadiano com pulsos maiores à noite, então a criança precisa dormir cedo, antes das 22 horas, para que atinja seu potencial de desenvolvimento.

Adaptado de: Tadeu Fernando Fernandes, diretor do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria e psicóloga Kátia Ricardi de Abreu.

Por: Dra. Paula Girotto