Gritos, choro incontrolável, expressão de pavor no rosto, abertura repentina dos olhos… Esses e outros sinais podem significar que seu pequeno está enfrentando um episódio de Terror Noturno.

Continue lendo esse artigo e saiba mais sobre o que é esse episódio em questão e como evitar que seu / sua filho(a) passe por ele.

terror noturno

Conceito de Terror Noturno

O terror noturno – muito confundido com o sonambulismo – é considerado uma parassonia, ou seja, um distúrbio do sono em que a criança tem diversos episódios de inquietude durante o sono, se contorcendo, gritando e chorando incontrolavelmente, e não se lembrando do ocorrido no dia seguinte.

Tal forma de parassonia é mais frequente em crianças pequenas, principalmente entre a faixa etária entre um e cinco anos de idade. E de acordo com estatísticas internacionais, na fase pré-escolar, ele chega a atingir metade da população infantil.

Causas e Sintomas do Terror Noturno

Apesar desse tipo de condição, que acontece enquanto a criança dorme, não possuir uma causa exata, acredita-se que esteja ligado a algum estímulo exagerado originado no sistema nervoso central durante o período de sono, que aconteceria pelo fato das células não estarem maduras o suficiente.

Além disso, outros fatores também podem estar relacionados ao terror noturno, tais como:

Durante o terror noturno a criança pode apresentar comportamentos estranhos enquanto está em estado de sono, incluindo:

  • Sentar-se na cama;
  • Se debater;
  • Apresentar sudorese;
  • Gritar;
  • Ficar com uma expressão facial de medo intenso;
  • Apresentar batimentos cardíacos acelerados e respiração anormal;
  • Abrir os olhos e manter um olhar fixo;
  • Ficar agressivo;
  • Apresentar confusão mental ao ser acordado.

Nos pequenos, também é comum o aparecimento de choro incontrolável, além de poderem levantar-se da cama e correr pela casa.

E apesar de causar espanto, o terror noturno é uma manifestação benigna, portanto, não representa risco para a saúde ou o desenvolvimento da criança. E o estado de transe costuma durar até 15 minutos e depois ela retoma o sono normal.

Terror Noturno x Pesadelo

Nossos sonhos acontecem durante o chamado sono REM, que se dá no fim da madrugada. Já o terror noturno ocorre na primeira metade da noite, quando a pessoa ainda não atingiu um sono REM prolongado.

Muitas crianças acordam depois de um pesadelo, mas no caso do terror noturno, dificilmente acordam por conta própria. Além disso, as pessoas se lembram dos sonhos ou pesadelos que tiveram, enquanto os que apresentam tal distúrbio do sono não têm noção do que se passou durante a noite.

Diagnosticando o Terror Noturno

Quando há suspeita de terror noturno, o médico poderá analisar aspectos físicos por meio de exames simples. Sem contar que pode ser feita uma série de perguntas com o objetivo de averiguar o que acontece durante os episódios, bem como a análise do histórico médico do paciente.

Porém, nem todo diagnóstico é tão simples quanto parece: em casos de dificuldades no diagnóstico, outros exames devem ser solicitados, como a polissonografia, que é realizada para detectar possíveis alterações no sono, por exemplo.

Prevenindo e Tratando o Terror Noturno

Na grande maioria dos casos envolvendo o público infantil, não é necessário fazer nenhum tratamento, porque os episódios de terror noturno tendem a desaparecer com o tempo.

Mas podem ser necessárias medidas de prevenção para que os pequenos não se machuquem. O aconselhável é que durante os episódios, os pais e/ou responsáveis não restrinjam as atividades motoras deles, porque podem acabar prolongando a crise. Outra medida de prevenção é evitar segurá-los na cama ou quando estiverem andando pela casa, apenas certifiquem-se de que não vão se machucar.

Diante de situações em que começam a apresentar um comportamento violento ou em que correm o risco constante de se machucar, pode ser indicado o uso de alguns medicamentos, como os benzodiazepínicos, antes de se deitarem para dormir, o que, normalmente, dura de três a seis semanas.

Porém, a principal recomendação é sempre procurar o médico, no caso o profissional especializado em Neuropediatria, para que faça o diagnóstico adequado de terror noturno, tranquilize os pais e responsáveis, tire as dúvidas e possa fazer as recomendações apropriadas e de acordo com cada situação e criança.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 7 nov, 2018 e Atualizado em: 28 de abril de 2022

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!