Fibromialgia InfantilVocê sabia que crianças e adolescentes também podem ser diagnosticados com distúrbios médicos que são mais comuns na vida adulta? Um destes exemplos é o caso da Fibromialgia, que passa a ser denominada Fibromialgia Infantil ou Síndrome da Fibromialgia Juvenil (SFJ).

Como não existem estudos conclusivos sobre as possíveis causas ou os fatores de risco da Fibromialgia Infantil, o que se sabe dela é que se trata de uma condição dolorosa não inflamatória e que pode persistir na fase adulta. Continue acompanhando este artigo para saber o que foi descoberto até o momento sobre a Fibromialgia em Crianças e em Adolescentes.

As Principais Características da Fibromialgia Infantil

A Síndrome da Fibromialgia Juvenil (SFJ) é pouco estudada e só começou a ser descrita em crianças e em adolescentes a partir de 1985, por Yunus e Masi, já que até então, era mais aprofundada na faixa etária dos adultos.

Uma das possíveis explicações para o seu surgimento é um distúrbio da regulação da dor em nível central, em que o sistema nervoso central (SNC) encontra-se alterado quanto à sua sensibilização e no seu processamento de dor, por diversos motivos.

Ela é caracterizada pela presença de dor musculoesquelética difusa e crônica, de fadiga (podendo estar associada ou não aos distúrbios do sono) e de sono não restaurador (sensação de cansaço e de exaustão), além de outros sintomas que variam de acordo com o paciente, como:

  • Pontos dolorosos (múltiplos e sensíveis à pressão);
  • Cefaleia;
  • Alterações de humor e de comportamento;
  • Desânimo;
  • Mudança no hábito intestinal;
  • Falta de atenção,
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Entre outros.

A Fibromialgia Infantil é comum em crianças com menos de quatro anos e em adolescentes entre 11 e 15 anos de idade. Sem contar que também tem mais chances de ocorrer em pessoas do sexo feminino e em pacientes com parentes de primeiro grau diagnosticados com fibromialgia.

Diagnosticando a Fibromialgia Infantil

Assim como acontece com os adultos, o diagnóstico da Fibromialgia Infantil é feito clinicamente e é igualmente difícil de ser feito. Como se trata de uma condição mais comum nos mais velhos e existem poucos relatos sobre ela, muitos especialistas ainda resistem ao declarar a SFJ e preferem estudar um pouco mais a fundo antes do veredito final.

Sem contar que nos exames laboratoriais e de imagens não aparecem alterações, a não ser em situações de doenças subjacentes à Fibromialgia Infantil, como as autoimunes, por exemplo.

Tratamento da Fibromialgia Infantil

O tratamento da Fibromialgia Infantil se baseia nas mesmas abordagens que são indicadas para melhorar a qualidade de vida dos adultos, que podem incluir:

  • Remédios específicos;
  • Atividades físicas;
  • Hidroterapia;
  • Meditação;
  • Acupuntura;
  • Yoga;
  • Pilates;
  • Massagens terapêuticas;
  • RPG (Reeducação Postural Global).

Além disso, são recomendados: estudar sobre a dor crônica e o sono, incluir exercícios gradativamente, fazer terapia cognitivo-comportamental ou tratamentos psicoterapêuticos, como psicanálise, por exemplo.

Mas, vale lembrar que cada caso deve ser diagnosticado e tratado individualmente por um médico especialista no assunto. Somente ele e os especialistas recomendados poderão indicar o direcionamento certo e as abordagens ideais para o caso de cada criança ou adolescente.

Referência: Mayo Clinic

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!