O Que o Atraso na Fala Indica?

O Que o Atraso na Fala Indica: Seu filho está dando indícios de que tem dificuldades para falar? Você acha que as crianças da mesma idade se comunicam melhor do que ele? Está preocupada com esse atraso na fala? Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre o universo da fala!
O que o Atraso na Fala Indica

O que o Atraso na Fala Indica?

O mecanismo da fala é algo que demora anos para ser dominado perfeitamente e o seu progresso varia de pessoa para pessoa. Algumas podem começar a falar antes mesmo do previsto. Outras acabam demorando um pouco mais. E há aqueles que estão dentro da média esperada.

Para saber se a criança está mesmo tendo dificuldade para falar ou se é algo normal para a faixa etária em que ela se encontra, é necessário levar em consideração vários quesitos, como influências externas e capacidades psíquicas, por exemplo.

Caso você sinta que o seu filho apresenta mesmo algum problema para falar, procure o pediatra o quanto antes, porque só ele é capaz de diagnosticá-lo e tratá-lo, já que isso pode ser sinal de alguns problemas neurológicos e psicológicos, como déficits, autismo, distúrbios do desenvolvimento, de audição, de aprendizado, ou de tantos outros.

Sinais de Atraso na Fala

Nada é mais eficiente do que o instinto dos pais. Ninguém conhece mais o seu filho do que você! Então, mesmo que o desenvolvimento da fala varie de uma criança para outra, é importante prestar atenção em alguns sinais que ela possa dar, como:

  • Não conseguir pronunciar nenhuma vogal ou consoante até os oito primeiros meses de vida;
  • Incapacidade de associar ou apontar determinado objeto até um ano de idade;
  • Não falar nenhuma palavra ou tentar imitar sons até os dezesseis meses.

Fatores que Podem Influenciar no Atraso da Fala

O atraso na fala pode sofrer influências de diversos fatores, tais como:

  • Nascimento prematuro: esse atraso pode ser de algumas semanas ou até mesmo de meses em relação aos que nasceram no tempo esperado;
  • Alterações genéticas;
  • Dificuldade Auditiva;
  • Não brincar com outras crianças;
  • Dificuldades para respirar;
  • Falta de estímulos adequados: as conversas com os pequenos são fundamentais para que eles se adaptem com as sonoridades das palavras e possam repeti-las quando estiverem prontos, como falar os nomes das pessoas, mostrar objetos e contar histórias de dormir;
  • Uso excessivo de aparelhos tecnológicos: quando a criança passa muito tempo entretida com esse tipo de instrumento, ela acaba não tendo estímulos e não exercita a comunicação verbal;
  • Dificuldades cognitivas: aqueles que têm dificuldade de se concentrar, de prestar atenção e de aprender, acabam demorando mais para conseguir falar;
  • Alimentação inadequada: o fato da criança não saber comer direito, tanto no quesito qualidade do alimento quanto na maneira em que está ingerindo, influencia na forma como ela fala, já que precisa estar familiarizada com os movimentos da língua e da boca, por exemplo;
  • Autismo: tanto pode ser um fator influenciador quanto um sinal do motivo pelo qual o seu filho não está conseguindo falar, porque se trata de uma doença que afeta as comunicações verbal e não verbal, a capacidade de interagir, socializar, etc.;
  • Timidez e/ou Mutismo seletivo: ou seja, a criança escolhe em que momento ou ambiente ela vai ou não falar com alguém;
  • DEL (Distúrbio Específico de Linguagem): é uma dificuldade da criança para desenvolver a linguagem, ou seja, ela não consegue evoluir a comunicação oral corretamente, mesmo não sofrendo nenhuma complicação, como os problemas auditivos ou transtornos de desenvolvimento;
  • Apraxia da Fala: por mais que o pequeno queira, ele não consegue pronunciar nenhuma palavra e muito menos sons ou algo que pareça com uma forma de comunicação, porque a capacidade motora da região da fala está comprometida.

Você está lendo: O que o Atraso na Fala Indica?

Capacidade de Falar de Acordo com a Faixa Etária da Criança

Existe uma tabela que é utilizada como parâmetro para considerar se a criança está falando dentro do tempo esperado ou não. Mas ela, em hipótese alguma, deve ser considerada uma regra, já que cada pessoa tem o seu tempo para desenvolver o exercício da fala.

  • Após os 06 primeiros meses: pode sustentar a emissão de uma vogal, como por exemplo, “aaaaa”, e os pais consideram como sendo uma palavra, o que acaba ajudando a criança, porque ela entende isso como um incentivo;
  • Até os 18 meses: o pequeno pode falar, em média, cento e cinquenta palavras;
  • Até os 24 meses: é normal acontecer um atraso, devido ao fato de que ela ainda está desenvolvendo a linguagem;
  • Até os 03 anos: a comunicação verbal deve ser compreensível, mesmo que o seu filho ainda apresente dificuldade para pronunciar as palavras.

Para mais informações, consulte seu neuropediatra de confiança, ele poderá esclarecer suas dúvidas e estabelecer o melhor diagnóstico para o seu filho.

Fonte: Vivo Mais Saudável Jun/2017

Artigo publicado em: 01/08/2017.

Artigo atualizado em: 15/02/2019.

Por: Dra. Paula Girotto

Neurologista Infantil SP - Compartilhe!